Subtipos clássicos – Fase II

Zoom (43KB)

Esta fase caracteriza-se por um eritema facial central persistente, com pápulas inflamatórias, pústulas ou ambas. Os doentes podem sentir picadas e ardor. As lesões podem também ocorrer junto dos orifícios faciais (região perioral, perinasal, periocular). Nesta fase, a doença pode assemelhar-se a acne vulgar, mas estes doentes apresentam comedões. As lesões da rosácea de tipo II têm sempre origem folicular. Os folículos sebáceos contêm filamentos foliculares sebáceos que podem excretar material pastoso e filamentoso. A rosácea estende-se por todo o rosto e pelo couro cabeludo com o aumento do número de ataques. As lesões inflamatórias mais profundas podem sarar, provocando pequenas cicatrizes.

Entre os diagnósticos diferenciais temos: acne vulgar, dermatite perioral, dermatite seborreica, erupção polimorfa ligeira, foliculite gram-negativa, tinha facial, tinha da barba, foliculite da barba, leishmaniase, sífilis secundária, terapêutica tópica crónica com glucocorticóides, bromoderma e iododerma.

Zoom (39KB)
 
Zoom (15KB)
 
Zoom (15KB)
 
   
Zoom (37KB)
Zoom (214KB)
Zoom (184KB)
Zoom (182KB)
Zoom (177KB)
Zoom (199KB)
Zoom (297KB)
Zoom (204KB)
Zoom (240KB)
Zoom (324KB)
Zoom (316KB)
DermIS.net Uni Heidelberg