Tratamento – Rosácea conglobata e rosácea fulminante

Tópico

Geralmente, os esteróides tópicos não devem ser utilizados na rosácea. A única excepção é em caso de rosácea fulminante.
Os corticosteróides potentes, como o propionato de 17-clobetasol, podem ser úteis na diminuição da inflamação quando aplicados em adição ao tratamento sistémico.


Sistémico

Recomenda-se um regime associado que inclua isotretinoína (0,5 - 1 mg/kg peso diariamente) e corticosteróides orais como a prednisona (0,5 – 1 mg/kg peso diariamente). Nas mulheres, podem adicionar-se contraceptivos orais com propriedades antiandrogénicas.
Nota: No caso de doentes do sexo feminino em idade fértil, é imperativo o uso de métodos contraceptivos eficazes, dado o potencial teratogénico deste fármaco. É necessária a monitorização regular dos níveis de colesterol e triglicéridos, bem como das enzimas hepáticas, durante o tratamento. O tratamento concomitante com isotretinoína e com tetraciclinas orais não é indicado, pois poderia provocar um aumento na pressão intracraniana. A isotretinoína pode agravar a rosácea oftalmológica.

Outros

Na rosácea conglobata, o corrimento pode ser tratado com a administração de uma injecção intralesional de corticosteróides (como o acetonido de triamcinolona), embora por vezes seja imperativa a excisão total da lesão.

DermIS.net Uni Heidelberg